16 de jul de 2004

OS INGLESES NA FIGUEIRA





Carta de um soldado inglês do corpo de Wellington escrita a 8 de Agosto de 1808 a partir do
acampamento de Lavos, próximo da Figueira



Aproveitei a oportunidade duns momentos vagos para lhe escrever algumas linhas a dizer-lhe que estou perfeitamente bem, embra bastante fatigado e queimado por andar constantemente exposto ao sol e pela actividade que o meu conhecimento da língua e a nossa situação torna indispensável; (...)


Nós desembarcamos no primeiro deste Mês (Agosto) Foram precisos três dias para o desembarque de todo o exército, e se de terra nos tivessem feito oposição, nós positivamente nunca o conseguiriamos ter efectuado tão grande é a ressaca tanto na costa como na barra. Contudo, graças a Deus todo o exercito desembarcou sem nenhuma perda, a não ser de um ou dois cavalos e agora oupamos uma posição neste lugar, tendo à nossa esquerda a aldeia e à direita o mar (...).


Nós avançamos para atacar Mons. Junto depois de amanhã; a guarda avançada sob o comando do general Fane segue amanhã. Serão alguns dias de marcha. A parte mais trabalhosa desta empresa está nestas estradas infames e no sol abrazador que com o enorme trem de artilharia e bagagem nos obrigam a um movimento muito moroso.

(...)

O estado maior do gen. Ferguson ocupa aqui a casa um velho amigo, onde nós estamos bastante confortavelmente pelas atenções dispensadas pea senhora G. Archer da Figueira, enviando-nos tudo o que podemos necessitar. Aliás, eu não seim o que devíamos ter feito estando a Figueira a quatro milhas e meia de distância e sem encontrarmos mais perto daqui nada para comer ou beber.

(...)

Do vosso sempre amado filho

Wm Warre"